quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Lula pressiona Levy: fim do ajuste fiscal e mais um rebaixamento

Comentário recente de Lula mostra o caminho para o abandono da disciplina fiscal. Esta rota nos colocaria rumo à inflação de dois dígitos e crescente. A conseqüência desta coisa? Veja:

Fitch corta rating do Brasil para BBB- com perspectiva negativa


Por Patricia Lara

(Bloomberg) -- Rebaixamento da nota de BBB, com perspectiva mantendo-se negativa, segundo relatório.
  • Teto soberano do País rebaixado de BBB+ para BBB
  • Rebaixamento reflete o aumento do endividamento do governo, aumento dos desafios para consolidação fiscal e piora do cenário econômico
Entendeu?

Concordo que a estratégia de Levy, de ficar focado apenas no superávit de 2016 e no ajuste de curto prazo, é insuficiente para nos tirar do atoleiro. É fundamental que seja criada uma âncora legal de longo prazo para as finanças públicas. Para isto é preciso urgentemente:

  1. Criar um limite constitucional para o gasto público em todas as esferas de governo, que seja indexado ao tamanho do PIB, submetendo todas vinculações de receita a gastos a este limite.
  2. Impor limites para o endividamento bruto do Estado
  3. Reformar a previdência, criando mecanismos específicos para seu financiamento de longo prazo.

Sem isto, o ajuste de Levy será doloroso e seus resultados serão pífios. Contudo, falar simplesmente em abandonar o ajuste em curso, está completamente errado. Falar em crescimento e distribuição de renda sem endereçar isto é uma irresponsabilidade de dimensão bolivariana.

Leia a coluna de Natuza Nery da folha nesta mesma linha:



Nenhum comentário:

Postar um comentário