sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A maior recessão das últimas décadas

Os dados recentes da indústria indicam que estamos caminhando para a maior recessão desde o Plano Collor, lá no início dos anos 90. São mais de 25 anos...

Vejam nos gráficos abaixo que não somente a situação está feia, como a tendência é horrorosa.

O Volume de produção vem despencando sem parar desde 2013. E não há nenhum sinal de reversão:





Apesar da queda das commodities, não é o setor de mineração que está liderando a queda; a indústria manufatureira é quem  puxa a queda de 9% a.a., queda que é dramática em bens duráveis ( carros, motos, geladeiras, TV´s, etc), mas se encontra espalhada, com apenas 35% dos setores pesquisados mostrando elevação na produção mensal:




 A confiança dos empresários segue lá embaixo e também não parece que melhora tão cedo:





Com esta queda na produção, a capacidade utilizada despenca, ou seja, a ociosidade das plantas aumenta, o que inibe novos investimentos e a formação de capital fixo:





Mesmo com esta baixa produção, os estoques se acumulam, o que indica que produção deve continuar em baixa nos próximos até que a demanda dê conta de abaixar este nível de estoques:



Isto tudo apesar da piora do quadro fiscal nos últimos 12 meses, explicada em parte por fatores cíclicos como a queda da arrecadação. Vejam a piora do saldo das contas públicas do governo desde 2012:





E com o ajuste fiscal em curso, o impulso de demanda dado pela expansão fiscal do governo vai cair muito. DE fato o gráfico abaixo só mostra que, embora ainda positivo, este impulso vai cair e deve ficar negativo, ou seja, vai diminuir a demanda agregada da economia:





Resumo: mesmo sem ajuste fiscal, a atividade afundou. Os cortes de gastos previstos pelo governo para 2016, parte do necessário e urgente ajuste fiscal, deverão reduzir a demanda ainda mais e impedir uma recuperação sustentável da economia no curto prazo. 

O custo de arrumarmos as besteiras Manteguianas dos últimos 4 anos está sendo muito, mas muito maior que qualquer um imaginaria. Até mesmo Dilma e Levy...


Nenhum comentário:

Postar um comentário